Histerectomia: o que é e quando fazer

Você já ouviu falar em histerectomia? É um tipo de cirurgia feita apenas em mulheres. Consiste na retirada do útero e, em alguns casos, de outros órgãos do sistema reprodutor.

É comum fazer essa cirurgia quando há alguma doença na região do útero que não se consegue tratar. Entre elas, cânceres, perdas de sangue e infecções graves.

Como se faz?

Há três tipos de histerectomia. O médico pode escolher um deles dependendo da gravidade da doença:

  • total: retiram-se o útero e o colo uterino;
  • subtotal: retira-se o útero, mas o colo fica;
  • radical: além do útero e do colo, há retirada de parte dos tecidos em volta desses órgãos. Este tipo é mais frequente em cânceres avançados.

O processo pode ser feito de quatro formas diferentes:

  • abdominal total;
  • vaginal;
  • laparoscópica (pequenos cortes no umbigo ou canal vaginal);
  • robótica (parecida com a laparoscopia, mas feita por máquinas).

Para a cirurgia abdominal, a mulher fica internada por 4 dias e leva cerca de 6 semanas para se recuperar. Já para os outros três métodos, o tempo de internação é de 1 ou 2 dias e o de recuperação é de 2 ou 3 semanas.

Cuidados e complicações

Depois da cirurgia, existem alguns cuidados a se tomar, como:

  • remédios contra dores e infecções no local;
  • evitar esforço físico;
  • fazer pequenas caminhadas em casa e evitar ficar o tempo todo na cama.

Vale destacar também algumas possíveis complicações, tais como:

  • febre acima de 38°C;
  • vômitos;
  • forte dor de barriga;
  • vermelhidão, sangue ou líquidos com mau cheiro no local.

Se estiver sentindo uma dessas coisas, é preciso procurar o pronto-socorro.

E o que muda no corpo e na vida da mulher? Sem o útero, ela não poderá mais engravidar. Aparecem ainda sintomas como sensação de calor, insônia e irritação fácil.

A informação é o melhor remédio!

Fonte de referência: Tua Saúde, Mulher Consciente

Sobre o autor

Você também pode gostar destes

Skip to content